CUT PR > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > CARAVANAS DE TODO O PAÍS NÃO PARAM DE CHEGAR EM CURITIBA

Caravanas de todo o País não param de chegar em Curitiba

12/04/2018

Ônibus de todo o país, em especial da Região Sul, chegam à cidade com centenas de agricultores familiares, categoria que não esconde a enorme gratidão por tudo que Lula fez pelos camponeses

Escrito por: Érica Aragão

 

Na tarde desta quinta-feira (12), centenas de ônibus continuaram chegando na capital do Paraná. O destino é o Acampamento Lula Livre, que fica ao lado da sede da Polícia Federal, em Curitiba, onde o ex-presidente é mantido como preso político.

Desde o anúncio da prisão política do ex-presidente Lula, caravanas de agricultores familiares não param de chegar. Só do estado do Paraná mais de 150 pessoas ligadas a Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (Fetraf) passaram pelo acampamento nos últimos dias. Além disso, caravanas vindas de outros estados como, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, estão programadas para vir a Curitiba.

Gibran MendesGibran Mendes

O secretário de Finanças da CUT Paraná e coordenador da Fetraf no estado, Neveraldo Oleboni, explicou que além da solidariedade ao ex-presidente Lula, os agricultores familiares estão aqui pelo que Lula representa para o povo do campo que foi tratado por Lula com o respeito que merece.

"O ex-presidente fez com que a nossa agricultura familiar saísse de um patamar de extrema pobreza e passasse a ser realmente uma categoria produtora de alimentos de qualidade reconhecida e deu uma qualidade de vida melhor e dignidade ao povo do campo", disse Neveraldo.

Ele contou que na próxima semana milhares de agricultores familiares virão a capital paranaense se somar à luta em defesa do Lula.

 "A ideia é trabalhar com oficinas temáticas sobre a agricultora familiar e principalmente da reforma da previdência, uma das conquistas da luta organizada dos trabalhadores rurais no governo Lula, que nos ouvia e reconheceu o nosso povo como trabalhador e que agora esse governo golpista quer nos tirar", disse o secretário da CUT.

Desde o golpe que usurpou o cargo da presidenta Dilma Rousseff, o golpista e ilegítimo Michel Temer (MDB-SP) acabou ou reduziu o alcance de vários  programas sociais implementados por Lula, como a habitação rural, Minha Casa Minha Vida; programas de produção e distribuição de alimentos, como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), os juros,do crédito aumentaram e os recursos para investimentos na agricultura familiar foram reduzidos drasticamente.

Para a agricultora familiar, Julia Przybysewski, Lula precisa ter o direito de ser candidato porque esse país está sendo roubado dos brasileiros e das brasileiras e os direitos das mulheres estão sendo exterminados.

"Lula vai revogar todas as medidas impopulares e devolver nossos direitos, especialmente os das mulheres, que passaram a ter autonomia e foram reconhecidas como ser humano de direito", falou Julia emocionada.

Já o agricultor familiar Elizandro Paulo Krait garantiu que os camponeses estão dispostos a permanecer no acampamento Lula Livre até que o ex-presidente seja libertado.

"Estamos prontos para fazer uma vigília permanente, com muita vontade e certeza que a justiça será feita um dia neste país. O Lula vai ser livre e acima de tudo vamos provar a inocência do ex-presidente. Nós sabemos tudo o que ele fez para a classe trabalhadora, especialmente aos agricultores familiares", destacou Elizandro.

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Rede Brasil Atual Somos fortes somos cut

R: João Manoel, 444 - Cep: 80510-250 - São Francisco - Curitiba/PR
Telefone (41) 3232-4649 - Fax (41) 3324-5106 - E-mail: cutpr@cutpr.org.br